sábado, 25 de maio de 2013

Jaguaribe Apodi aumenta produção de forragem

Alternativa para ração dos rebanhos neste período de seca, o produto está em largo cultivo no perímetro

Limoeiro do Norte. A Federação das Associações do Perímetro Irrigado Jaguaribe Apodi (Fapija), realizou na manhã de ontem um dia de campo para empresários do setor do agronegócio, instituições e representantes do poder público, com o objetivo de dar visibilidade ao trabalho que o perímetro vem realizando e sua importância para região.

Produtores da região participaram do dia de campo que mostrou as potencialidade econômicas do perímetro, que experimenta boa fase fotos: ellen freitas
O roteiro das atividades iniciava com um café da manhã na fazenda do empresário Luiz Girão, seguido por uma visita às colheitas das principais culturas, como grãos, milho verde, fruticultura e silagem.

No encerramento, teve um almoço na Escola Piamarta, na comunidade de Cabeça Preta, na Chapada do Apodi.

Um dos momentos importantes do dia foi uma visita à colheita e produção de forragem, que é destinada para alimentação animal. O produto foi cultivado de forma pioneira no perímetro Jaguaribe Apodi. A experiência vem surpreendendo em quantidade de produção e venda, e passou a ser exemplo para outros perímetros, além de ser, na visão do governo, a principal alternativa para salvar a pecuária cearense dos impactos da estiagem.

Somente este ano, segundo o presidente da Fapija, Raimundo César dos Santos, foram comercializadas mais de 100 toneladas do produto para o Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte e Pernambuco. "Infelizmente, nesse quadro de seca, abriu uma oportunidade para os produtores investirem na produção de alimentação para o rebanho. Hoje, a procura por silagem no Jaguaribe Apodi, vem superando as expectativas", comemora.

O bom desempenho do perímetro resultou no interesse do estado em expandir a produção. De acordo com o coordenador de Agricultura Familiar da Secretaria de desenvolvimento Agrário (SDA), Itamar lemos, o governo do Estado está solicitando junto ao governo federal, por meio do Departamento Nacional de Obras Conta as Secas (Dnocs), uma área de 592 hectares, que está parada na área do Perímetro Irrigado, para a produção de forragem. O coordenador também informou que serão distribuídos kits de irrigação para produtores que possuem condições de investir neste produto. Para a distribuição dos kit, a SDA contará com o apoio do Ministérios da Integração Nacional e da Agricultura e Pecuária, além do Dnocs.

"O Ceará possui um potencial irrigado muito grande, isso faz com que nos destaquemos na produção agrícola", ressalta Lemos. No dia de campo, esteve presente o deputado federal e presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária da Câmara Federal, Raimundo Gomes de Matos. De acordo com ele, é preciso que o governo desburocratize as parcerias para que haja maiores investimentos no setor.

"O semiárido brasileiro tem particularidades que outras regiões não tem. Uma delas é a capacidade de produzir o ano inteiro. Então é preciso desburocratizar para que haja mais investimento, não somente em produção, mas em pesquisa", afirmou o parlamentar.

Irrigante há mais de 15 anos e presidente da União do Agronegócio do Vale do Jaguaribe (Univale), João Teixeira Júnior, conta que o Jaguaribe Apodi é importante não só para a economia do Estado, mas contribui significativamente para o desenvolvimento da região. "É importante ressaltar os empregos que são gerados com a agricultura irrigada, o acesso à renda e produção de alimentos que abastece a região. A população como um todo ganha com a agroindústria", ressaltou.

A Univale atua no combate à mosca da fruta e investe em pesquisas, em parceria com a Embrapa Tropical, Adece, Sebrae, Banco do Nordeste (Etene) e empresários. Apesar de ainda enfrentar embates burocráticos para a liberação de uma área para expandir a produção, todas as áreas exploradas estão em pleno funcionamento, com produção de 100%.

Atualmente, a área produtiva do Perímetro Jaguaribe-Apodi é de 3.800ha, sendo as principais culturas o milho verde, grãos e fruticultura, destacando também a produção de forragem e o rebanho leiteiro.

Desde o ano passado, com os impactos negativos causados pela estiagem e com a problemática de produção alimentar para a pecuária cearense, os irrigantes deste perímetro viram como solução para o problema e para implantar um novo cultivo em suas terras, a produção de forragem e prática da silagem.

Expansão

Durante o ano passado houve um processo de expansão das áreas para a produção de silagem, visando atender às demandas internas e dos Estados vizinhos. A área passou de 662ha para 730ha, ainda em 2012. Já este ano, a produção de milho verde e forragem ocupa uma área de 1.800 ha.

Diante dos bons resultados, o presidente da Fapija considera este um dos melhores momentos já vividos pelo Perímetro. "Não importa se é pequeno ou grande produtor, todo mundo que trabalha aqui no perímetro tem se beneficiado com esse momento positivo", comemora.

Mais informações
Federação das Associações do Perímetro Irrigado Jaguaribe Apodi Rodovia - LN - 01, Km 12 - Chapada do Apodi - Limoeiro do Norte
Telefone: (88) 3423.1386

ELLEN FREITASCOLABORADORA 
(DIÁRIO DO NORDESTE)

Nenhum comentário: